SBICafé
Biblioteca do Café

Narrativas de trabalhadoras rurais na cafeicultura da região do cerrado mineiro: explorando as fissuras do colonialismo

Show simple item record

dc.contributor.advisor Medeiros, Cintia R. O.
dc.contributor.author Dornela, Fernanda Junia
dc.date.accessioned 2019-07-18T18:05:40Z
dc.date.available 2019-07-18T18:05:40Z
dc.date.issued 2018-02-26
dc.identifier.citation DORNELA, F. J. Narrativas de trabalhadoras rurais na cafeicultura da região do cerrado mineiro: explorando as fissuras do colonialismo. 2018. 176 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Gestão e Negócios, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2018. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/11964
dc.description Dissertação de mestrado defendida na Faculdade de Gestão e Negócios - Universidade Federal de Uberlândia pt_BR
dc.description.abstract O objetivo principal desta dissertação é analisar como se manifestam as relações de gêneros nas narrativas das mulheres trabalhadoras rurais, na cafeicultura da Região do Cerrado Mineiro. A noção de gêneros que adotamos é defendida na perspectiva pós-colonial, nos possibilitando identificar, compreender e tentar descontruir as relações sociais desiguais vivenciadas por essas trabalhadoras rurais, que são resultantes de construções sociais, tendo como base as diferenças sexuais, culturais, raciais e de classes sociais. A perspectiva pós- colonial teoriza sobre posições e as relações de sujeitos heterogêneos, como mulheres e mulheres negras, que se mostram divergentes das imagens raciais e de gêneros produzidas pelo conhecimento ocidental (CALÁS; SMIRCICH, 1999). Por meio dessa abordagem, é possível criar um espaço para que os grupos considerados subalternos, que vivem em condições de silêncio, sendo legitimados por outras pessoas que assumem seus lugares nos espaços públicos, falem por si (SPIVAK, 2010). Dessa forma, buscamos criar, por meio dessa dissertação, um espaço para que as mulheres trabalhadoras rurais na cafeicultura da Região do Cerrado Mineiro pudessem falar por si, contando suas trajetórias, experiências e expectativas. Esta pesquisa é de natureza empírica, classificada, respectivamente, quanto aos objetivos e abordagem, como descritiva e qualitativa, estando situada na matriz proposta por Alvesson e Deetz (1999) no quadrante dos Estudos Dialógicos. O material empírico analisado por meio da Análise Crítica do Discurso (ACD), utilizando o modelo tridimensional de Fairclough (2001), consiste em entrevistas narrativas realizadas com 14 trabalhadoras rurais na cafeicultura da Região do Cerrado Mineiro, aqui representada pelos municípios de Patrocínio, Carmo do Paranaíba e Monte Carmelo. As análises realizadas estão em torno de três configurações presentes nas relações de gêneros, definidas com base nas principais questões discutidas na teoria pós-colonial: Identidades; Desigualdades e Colonialidade Em conjunto, as análises das narrativas das trabalhadoras rurais entrevistadas nos permitiu explorar as fissuras do colonialismo presentes nas relações e contextos em que elas estão inseridas. Essas análises sugerem que as relações de gêneros são manifestadas por meio de heranças do colonialismo que estigmatizam as entrevistadas; desigualdades; diferenças de gêneros, raças e classes sociais, estando presentes nos contextos do trabalho; ambientes domésticos e sociedade. Esses resultados encontrados estão naturalizados e incorporados nas práticas discursivas e sociais das trabalhadoras rurais entrevistadas. Entendemos, portanto, que as relações de gêneros abordadas neste trabalho permanecem sobre a influência do poder que a sociedade, homens e mulheres exercem sobre outras mulheres, representando uma herança do colonialismo. pt_BR
dc.description.abstract The main objective of this dissertation is to analyze how gender relations are manifested in the narratives of rural women workers in coffee production in the Cerrado Mineiro Region. The notion of genders we adopt is defended in a postcolonial perspective, enabling us to identify, understand and try to disrupt the unequal social relations experienced by these rural workers, which are the result of social constructions, based on sexual, cultural, racial and ethnic differences. of social classes. The postcolonial perspective theorizes about positions and relationships of heterogeneous subjects, such as black women and women, who are divergent from racial images and genres produced by Western knowledge (CALÁS, SMIRCICH, 1999). Through this approach, it is possible to create a space so that groups considered subaltern, living in conditions of silence, being legitimized by other people who take their places in public spaces, speak for themselves (SPIVAK, 2010). In this way, we seek to create, through this dissertation, a space for rural women working in coffee production in the Cerrado Mineiro region to speak for themselves, telling their trajectories, experiences and expectations. This research is empirical, classified, respectively, as regards the objectives and approach, as descriptive and qualitative, being located in the matrix proposed by Alvesson and Deetz (1999) in the Dialogical Studies quadrant. The empirical material analyzed through the Critical Discourse Analysis (ACD), using the three-dimensional model of Fairclough (2001), consists of narrative interviews conducted with 14 rural workers in coffee growing in the Cerrado Mineiro region, represented here by the municipalities of Patrocínio, Carmo of Paranaíba and Monte Carmelo. The analyzes carried out are based on three configurations present in the relations of genera, defined based on the main issues discussed in the postcolonial theory: Identities; Inequalities and Coloniality Together, the analyzes of the narratives of rural women interviewed allowed us to explore the fissures of colonialism present in the relationships and contexts in which they are inserted. These analyzes suggest that gender relations are manifested through inheritances of colonialism that stigmatize those interviewed; inequalities; differences of genders, races and social classes, being present in the work contexts; domestic environments and society. These results are naturalized and incorporated into the discursive and social practices of rural women interviewed. We understand, therefore, that the gender relations discussed in this paper remain on the influence of the power that society, men and women exert on other women, representing an inheritance of colonialism. pt_BR
dc.format 176 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Uberlândia pt_BR
dc.subject.classification Cafeicultura::Administração e gestão pt_BR
dc.title Narrativas de trabalhadoras rurais na cafeicultura da região do cerrado mineiro: explorando as fissuras do colonialismo pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Dissertacao_Fernanda Junia Dornela.pdf 1.345Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account