SBICafé
Biblioteca do Café

Crescimento dos botões florais e variações no amido das corolas de café (Coffea arabica L. Mundo Novo ), sob condições naturais

Show simple item record

dc.contributor.advisor Maestri, Moacyr pt_BR
dc.contributor.author Frederico, Donato pt_BR
dc.contributor.other Universidade Rural do Estado de Minas Gerais pt_BR
dc.date 2001-01-01 00:00:00.0 pt_BR
dc.date.accessioned 2015-01-14T13:05:04Z
dc.date.available 2015-01-14T13:05:04Z
dc.date.issued 1969 pt_BR
dc.identifier.citation Frederico, Donato. Crescimento dos botões florais e variações no amido das corolas de café (Coffea arabica L. Mundo Novo ), sob condições naturais. Viçosa : UREMG, Impr. Univ., 1969. 29p. : il. (Dissertação - mestrado em Fitotecnia) Orientador: Moacyr Maestri T 581.1 F852c 1969 pt_BR
dc.identifier.other 91550 pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/38
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Rural do Estado de Minas Gerais pt_BR
dc.description.abstract O ciclo de crescimento dos botões florais do café, Coffea arabica L. cv. Mundo Novo, foi estudado em Viçosa, Minas Gerais, em condições naturais, no ano de 1967. A iniciação floral verificou-se em fins de maio e princípios de junho, e o estudo começou em julho, prolongando-se até fins de setembro. Nesse período choveu o suficiente para a quebra da dormência dos botões apenas em 14 de setembro, com uma precipitação de 14,3 mm. Trata-se, portanto, de um período nítidamente seco, de ocorrência normal na região. As temperaturas médias semanais variaram de 13 a 20°, com noites frias e dias relativamente quentes. A umidade relativa do ar estêve em média em torno de 80%, e a água disponível no solo, a 25-30 cm de profundidade, foi praticamente nula. O crescimento dos botões foi determinado semanalmente em amostras de 100 botões comumente, com poucas amostras de no mínimo 74 botões.Mediu-se o comprimento do botão, seu pêso fresco e seu peso seco. Os botões não incluíam o ovário da flor. Um estudo químico e histoquímico preliminar do amido na corola foi também realizado. Os botões, em meados de julho, haviam atingido um comprimento de 4-5 mm, não se verificando, posteriormente, nenhum crescimento, até a chuva de 14 de setembro. O período de dormência foi, portanto, no presente caso, de dois meses. Após a chuva, o crescimento reinicia-se, chegando o botão rapidamente a um comprimento médio de 11,5 mm, em onze dias, na véspera da florada. As flôres se abriram no dia 26 de setembro, 12 dias após a chuva que quebrou a dormência. O pêso sêco seguiu um ciclo paralelo ao comprimento do botão, isto é, estabilizou-se de meados de julho até o dia da chuva, somente voltando a aumentar após a quebra da.dormência. Daí até a antese, o aumento de pêso sêco foi rápido. O teor de água, expresso na base de peso fresco caiu ligeiramente de 57,2% no início do estudo a 54,6%, antes da chuva. Após esta, o teor de água passa a aumentar rapidamente, atingindo 77,4% na flor aberta, quando então passa a decrescer até a queda da corola, verificada quatro dias após a antese. O amido acumulou-se no botão durante o crescimento verificado após a quebra da dormência. Seu teor cai abruptamente nas vésperas da antese. Estudo histoquímico mostrou que os grãos de amido, aparentemente aglomerados de grãos de amido, distribuem-se regularmente, em grande quantidade, nas células do mesófilo das pétalas. Na antese, os grãos apresentam-se quase ausentes de pétalas, desaparecendo por completo à medida que a corola fenece. Sugere-se que a quebra da dormência é provocada pela remoção das águas de chuva de um inibidor presente no botão, seguindo-se um processo ativo de crescimento regulado por um hormônio, provavelmente do tipo de giberelina. A antese parece resultar de uma expansão osmótica das células em razão do acúmulo de açúcares solúveis, provenientes da hidrólise do amido. Tendo sido o objetivo do presente trabalho estudar apenas o ciclo de crescimento dos botões florais, reconhece-se que para a elucidação do mecanismo de controle dêsse ciclo requer estudos posteriores, principalmente com relação a variações de açúcares solúveis e de substâncias hormonais, durante a fase de dormência e renovação de crescimento. pt_BR
dc.description.abstract The growth cycle o f flower buds of coffee under field conditions in Viçosa, Minas Gerais (Brazil) was studied during the dry season of 1967. Samples of 74-100 buds were collected weekly for length, dry matter and fresh weight determinations. Preliminary chemical and histochemical tests for starch in the corolla before and after breaking of bud dormancy were also included. Flower initiation occurred by the end o f May.By mid-July, buds had attained a length of 4-5 mm after which time growth stopped temporarily. On September 14, growth resumed after a rainfall of 14.3 mm. Eleven days after (one day before anthesis), buds reached a maximum size of 11.5 mm. The period of bud dormancy thus extended for about two months. Water content of buds decreased slightly during the dormancy period, dropping from 57.2% on July 7 to 54.6% before the rainfall which broke dormancy. Following breaking of dormancy through anthesis, there was a rapid increase in moisture content t o a maximum value of 77.4% at anthesis, decreasing thereafter due to wilting. Flower abscission occurred three days later. Changes in dry weight parallelled changes in bud length. Dry weight of buds remained stable from mid-July through September 14 and then increased until blooming.The rate of dry matter increase was approximately one-fourth of the rate of increase i n water content. Starch also increased in the growing bud, but an abrupt reduction in starch content occurred during flower opening. It is postulated that rainfall removes from the buds a growth inhibitor responsible for dormancy, setting off an active growth process regulated by a promoter, probably of the gibberellin type. Anthesis may result from an osmotic attraction for water due to starch hydrolisis in the corolla. Analytical studies on soluble sugars and growth substances are necessary to clarify the mechanism controlling flower bud growth in coffee. en
dc.description.sponsorship Universidade Rural do Estado de Minas Gerais pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Rural do Estado de Minas Gerais pt_BR
dc.subject Café Mundo Novo Fisiologia Crescimento Coffea arabica pt_BR
dc.subject Coffee flower buds Growth Physiology Coffea arabica Mundo Novo en
dc.subject.classification Cafeicultura::Agroclimatologia e fisiologia pt_BR
dc.title Crescimento dos botões florais e variações no amido das corolas de café (Coffea arabica L. Mundo Novo ), sob condições naturais pt_BR
dc.title Growth cycle of flower buds of coffee (Coffea arabica L. ´Mundo Novo') en
dc.title.alternative Growth cycle of flower buds of coffee (Coffea arabica L. ´Mundo Novo') en
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
91550f.pdf 1.754Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account